Perna de pau

Num belíssimo exemplo de propaganda e desinformação «sensibilização sobre a pirataria», a Associação Portuguesa de Software (ASSOFT) cita um estudo onde se diz que «anualmente a pirataria tem um impacto de 193 milhões de euros na economia portuguesa.». Curiosamente (ou nem por isso), antes de avançar números, não definem o termo “pirataria”. Provavelmente querem dizer que pirata é todo aquele que não paga pelo software—mesmo aquele software disponibilizado sem qualquer custo. Depois, diz-se que «a redução da taxa de pirataria para os 30% poderia ajudar a criar 4.244 empregos.». Só se forem os funcionários públicos de uma agência específica criada para aplicar a proibição de piratear coisas. Tipo o que a Stasi fazia com o correio: abria-o, via o que lá estava escrito, e se não estivesse lá informação proibida, então não havia problema, lá ia a carta para o seu destino. Se houvesse, mandava-se prender o malfeitor do pirata. Não tenho dúvidas que isto seria maravilhoso para a economia nacional: com o número astronómico de cadeias necessárias para prender esses piratas todos, privatizar o sistema prisional era um mimo aos olhos da troika!

A cereja no topo do bolo é a campanha que adopta como slogan «a pirataria é um tiro no pé… e é por isso que os piratas têm perna de pau!». E mesmo assim, zarolhos, mancos e com pernas de pau—porque obviamente 200 milhões de euros não chegam para comprar próteses em condições—os piratas assustam de tal modo a indústria,  que esta se vê forçada a fazer vídeos onde se queixa que «ninguém parece envergonhar-se de ser pirata». Se tentassem perceber porque é que isto acontece, em vez de andar a perder tempo com choradinhos animados, talvez chegassem a alguma conclusão. Não sei, digo eu…

EDIT: E até vem com formulário e tudo!

Os comentários estão fechados.